16/10/2015 - Boletins para a Imprensa

CEOs de companhias de petróleo e gás declaram ações conjuntas em prol do clima

Logo OGCI

  • CEOs de dez companhias mundiais de petróleo e gás elaboraram uma declaração conjunta sobre as mudanças climáticas, fazendo um apelo para:
     
  • Um acordo eficaz sobre as mudanças climáticas na COP21.   
  • Fortalecer as ações e investimentos que contribuem para reduzir a intensidade de gases de efeito estufa (GEE) no mix energético mundial. 
  • Apoiar a implementação de uma política reguladora clara e estável visando a limitar a 2°C o aquecimento global, permitindo que nossas empresas tomem decisões e contribuam de maneira eficaz e sustentável para enfrentar as mudanças climáticas.
  • Colaborar em diferentes áreas como eficiência energética, gás natural, P&D e captura e armazenamento de CO2.
  • Fazer relatórios frequentes e consistentes sobre os progressos alcançados.
     
  • O relatório da OGCI destaca o trabalho das companhias que participam da declaração para desenvolver ações práticas, significativas e tecnológicas para enfrentar as mudanças climáticas.

Paris – Os CEOs das dez maiores companhias mundiais de petróleo e gás - que juntos fornecem quase um quinto da produção de petróleo e gás e produzem cerca de 10% da energia do planeta - declararam hoje o seu apoio coletivo para um acordo eficaz sobre as mudanças climáticas a ser alcançado no próximo mês durante a 21ª Conferência das Partes das Nações Unidas (ONU) sobre Mudanças Climáticas (COP21).

Em sua declaração comum histórica, os CEOs de dez companhias que integram a “The Oil and Gas Climate Initiative” (OGCI) – Grupo BG, BP, Eni, Pemex, Reliance Industries, Repsol, Saudi Aramco, Shell, Statoil e Total – reconhecem o objetivo geral de limitar o aquecimento global a 2°C, admitindo que a tendência mundial atual das emissões de gás de efeito estufa não é compatível com esse objetivo.

As companhias têm feito ações significativas para minimizar o seu impacto de GEE, reduzindo cerca de 20% das emissões de gases de efeito estufa durante suas operações, nos últimos 10 anos.

Os dez CEOs declararam:

“Nosso objetivo comum é de um futuro de 2°C. É um desafio para toda a sociedade.  Estamos comprometidos em fazer a nossa parte. Nos próximos anos vamos fortalecer coletivamente nossas ações e investimentos para contribuir para a redução da intensidade dos gases de efeito estufa do mix energético mundial. Nossas empresas vão colaborar em diversas áreas com o objetivo de ir além da soma de nossos esforços individuais.”
(Helge Lund, Grupo BG; Bob Dudley, BP; Claudio Descalzi, Eni; Emilio Lozoya, Pemex; Mukesh Ambani, Reliance Industries; Josu Jon Imaz, Repsol; Ben van Beurden, Royal Dutch Shell; Amin Nasser, Saudi Aramco; Eldar Sætre, Statoil; e Patrick Pouyanné, Total.)

A OGCI lança também hoje seu relatório comum - “More energy, lower emissions” (Mais energia, menos emissões) - destacando as ações concretas realizadas pelas companhias para melhorar a gestão das emissões dos gases de efeito estufa e trabalhar no sentido de melhorar o impacto das mudanças climáticas a longo prazo. Essas ações incluem investimentos significativos em gás natural, captura e armazenamento de CO2, energias renováveis, bem como pesquisa e desenvolvimento para reduzir as emissões dos gases de efeito estufa.

A declaração e o relatório comum definem as áreas-chave em que as companhias da OGCI darão enfoque em sua colaboração, incluindo:

  • Eficiência: otimizar a eficiência de suas operações, melhorar a eficiência de seus combustíveis e outros produtos finais, e trabalhar com construtores automobilísticos e consumidores para melhorar a eficiência energética dos veículos.
  • ás natural: contribuir para aumentar a participação do gás no mix energético mundial, garantindo que o gás natural fornecido tenha emissões significativamente inferiores no ciclo de vida que outros combustíveis fósseis de geração de energia, eliminar a queima de gás de rotina e reduzir as emissões de metano em suas operações.
  • Soluções a longo prazo: investir em P&D e inovação para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, participar de parcerias para o progresso da captura e armazenamento de CO2, contribuir para aumentar a participação das energias renováveis no mix de energia mundial.
  • Acesso à energia: desenvolver projetos para fornecer acesso à energia para as pessoas em parceria com autoridades locais e nacionais e outras partes interessadas.
  • Parcerias e iniciativas multissetoriais: buscar oportunidades para acelerar as soluções na luta contra as mudanças climáticas através de trabalho coletivo ou individual na indústria ou outras iniciativas.

A OGCI é uma iniciativa voluntária de dirigentes das indústrias do petróleo e gás baseada na colaboração e no compartilhamento das melhores práticas para desenvolver ações concretas para enfrentar as mudanças climáticas.

A OGCI foi criada após as discussões realizadas durante a Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial, em janeiro de 2014, e foi lançada oficialmente em setembro do mesmo ano durante a Cúpula do Clima das Nações Unidas.

Saiba mais acessando o comunicado à imprensa em total.com