Para atender à crescente demanda por energia, a Total investe no gás natural

Diante do crescimento da população mundial, a demanda por energia é cada vez maior. Para satisfazê-la, é necessária uma energia abundante e acessível. A Total também observa, neste cenário, a importância da redução das emissões de gases de efeito estufa, causa com a qual o Grupo está envolvido há mais de 10 anos, e vem respondendo a este desafio através do desenvolvimento do gás natural, o combustível fóssil mais limpo. Em 2015, a Total produziu quase a mesma quantidade de gás (47%) e de óleo (53%)1. Nosso objetivo: um mix de hidrocarbonetos com mais de 60% de gás em 20 anos.

  • cental_prrof_gaz_1_PT_BR

    Usina de liquefação da QatarGas na Ras Laffan Industrial City no Catar.

  • cental_prrof_gaz_2_PT_BR

    Fornecimento de GNL transportado pelo metaneiro Arwa Spirit até um terminal de regaseificação no Japão.

  • cental_prrof_gaz_3_PT_BR

    Marinheiros no metaneiro Arwa Spirit que transportam o GNL.

  • cental_prrof_gaz_4_PT_BR

    Armazenagem de GNL no Japão. Em sua chegada, o gás é armazenado nos tanques sob forma líquida antes de ser regaseificado e depois enviado às redes de transporte e de distribuição de gás natural.

  • cental_prrof_gaz_5_PT_BR

    Entrega de material à Sabetta no rio Ob para o projeto Yamal GNL na Rússia.

  • cental_prrof_gaz_6_PT_BR

    Kurt, geofísico. Total Austrália. Perth, Austrália.

  • cental_prrof_gaz_7_PT_BR

    Darwin, Austrália - Construção da planta de GNL de Blaydin Point, parte do projeto de Ichthys GNL. Janeiro de 2015.

  • cental_prrof_gaz_8_PT_BR

    Construção da embarcação flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo (FPSO) para o projeto de Ichthys GNL. Novembro de 2014.

  • cental_prrof_gaz_9_PT_BR

    A perfuração do primeiro poço de desenvolvimento do projeto de Ichthys GNL foi iniciada em fevereiro de 2015.

  • cental_prrof_gaz_11_PT_BR

    "Eu espero que o Congresso Mundial de Gás 2015 represente uma virada para a conscientização do papel do gás natural na luta contra a mudança climática". P. Pouyanné, Congresso Mundial de Gás, Paris, 2 de junho de 2015

Seguinte Prev
  • cental_prrof_gaz_1_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_2_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_3_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_4_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_5_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_6_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_7_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_8_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_9_PT_BR
  • cental_prrof_gaz_11_PT_BR

Gás natural, o combustível fóssil com menor emissão

O carvão ainda é amplamente utilizado: ele representa cerca de 30% do consumo de energia no mundo. Mas ele está longe de ser uma energia limpa: a sua combustão é responsável por 44% das emissões globais de CO2. A Total vê o gás natural como uma alternativa eficaz. Trata-se de um recurso abundante, que permite múltiplas utilizações. O gás natural oferece, principalmente, a vantagem de emitir duas vezes menos CO22 que o carvão na geração de energia elétrica.
Plenamente engajados em fornecer uma energia melhor, nós aumentamos progressivamente a presença do gás natural no mix de energia do Grupo há 10 anos.

Total, participação fundamental no GNL

Em 2015, o gás representou cerca de 47% de nossa produção de hidrocarbonetos, contra 33% em 2005. A Total está presente em toda a cadeia desde a produção do gás natural até a sua comercialização, passando pelo transporte, trading e produção de eletricidade em térmicas a gás.
O gás natural pode ser liquefeito, o que lhe dá uma vantagem adicional: ser facilmente transportado por navio em longas distâncias. A Total aposta no  gás natural liquefeito  (GNL) para fornecer energia em maior escala. Além de pioneiro, o Grupo é hoje um dos líderes neste segmento. A Total investe em toda a cadeia do GNL, desde a sua extração em terra ou no mar, até a sua entrega às usinas de processamento, onde é liquefeito e estocado, passando pelo transporte do GNL em navios-tanque especializados - os metaneiros - até os terminais de regaseificação e a entrega final do gás natural na instalação dos clientes empresariais.
Nossa estimativa é que, até 2030, o crescimento anual do mercado mundial de gás será de cerca de 2%, e de cerca de 4% para o de GNL, enquanto o crescimento do mercado mundial de petróleo será pouco maior que 0,5%. Mas, segundo Laurent Vivier, diretor da Total Gás: “é necessário prestar atenção às disparidades geográficas: os mercados regionais têm dinâmicas próprias”.3

Inovar para tornar o GNL ainda mais acessível

Os colaboradores da Total buscam o objetivo com o qual se comprometeram desde 2007: dobrar as vendas de GNL do Grupo até 2020. Para isso, as equipes implementaram uma estratégia ambiciosa, a exemplo dos projetos Yamal GNL, na Rússia, e Ichthys GNL, na Austrália, ambos atualmente em desenvolvimento:

  • A usina Yamal GNL está situada em terra na região do Golfo de Ob, que é tomada pelo gelo durante nove meses por ano. O desenvolvimento do projeto é acompanhado através de um sistema completo e inovador que considera a presença do gelo para permitir o transporte marítimo do GNL. Uma frota de 15 navios metaneiros do tipo quebra-gelo foi concebida especialmente para este projeto.
  • Para garantir as extrações de GNL cujas fontes estão localizadas na Austrália, nos Estados Unidos ou em outros países, a Total está construindo a sua própria frota e comissionou a construção de dois metaneiros. Esses navios, que serão entregues em 2017, permitirão levar uma energia limpa e segura aos países consumidores, utilizando um modo de transporte que respeita o meio ambiente. Uma pequena parte do GNL transportado pelos metaneiros alimentará os seus motores, otimizando as operações e reduzindo de forma significativa as emissões de CO2 no transporte marítimo do GNL.

 

1 Produção de hidrocarbonetos (kb/d): 2.347 em 2015
Líquidos (kb/d): 1.237 em 2015
Gás (Mpc/d): 6.054 em 2015

2 IAE, “CO2  emissions from fuel combustion 2015 edition”

3 “Informações sobre Gás e Petróleo”, 25/11/15

 

Compartilhe este projeto