Utilizamos cookies para personalizar conteúdo, analisar nosso tráfego e recursos de mídias sociais. Nós também compartilhamos as informações sobre o seu uso no nosso site com os nossos parceiros de mídias sociais e de dados analíticos que podem combiná-las com outras informações que você fornece a eles ou que foram coletadas através do uso que você faz de seus serviços.
Aceitar tudo
Personalizar
Please check an answer for every question.
Deny all
Accept all
We use cookies to personalise content, to provide social media features and to analyse our traffic. We also share information about your use on our site with our socal media and analytics partners who may combine it with other information that you've provided to them or that they've collected from your use of their services.

27/11/2017 Boletins para a imprensa

O enorme campo de Libra entra em operação no Brasil

Paris, 27 de novembro de 2017 - A Total anuncia o primeiro óleo do megacampo de Libra, localizado em água ultraprofundas, a 180 quilômetros da costa do Rio de Janeiro, no pré-sal da Bacia de Santos, no Brasil. A unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência (FPSO) Pioneiro de Libra tem capacidade de 50 mil barris de óleo. A FPSO, que é um sistema de produção antecipada, irá gerar receita e ajudar a coletar dados técnicos para otimizar as próximas fases de desenvolvimento. 

“A Total tem o prazer de anunciar que começou a produção no campo gigante de Libra, que tem potencial de ser uma fonte de milhões de barris”, disse Arnaud Breuillac, Presidente de Exploração e Produção da Total. “Libra é um dos principais ativos do portfólio da Total, fazendo parte da nossa estratégia de investimento em projetos altamente competitivos com baixo preço de break-even. O primeiro óleo marca o início da produção do projeto e representa um grande passo no desenvolvimento do campo, para o qual a Total traz sua ampla experiência em deep offsore.”

Depois dessa fase de produção antecipada, o desenvolvimento de Libra continuará, com a decisão de investimento final esperada até o final do ano para a FPSO Libra 1, com 150 mil barris por dia. Outras unidades de produção similares serão desenvolvidas nos próximos anos.

O campo de Libra é operado pela Petrobras (40%) como parte de um consórcio internacional onde as outras parceiras são a Total (20%), Shell (20%), CNOOC (10%) e CNPC (10%).